Isaac flex novel
Isaac

Isaac: Capítulo 32

 

 

Isaac acreditava que havia três coisas essenciais para o sucesso de qualquer governante.

Poder, dinheiro e mão de obra.

A força é a encarnação física do poder. O poder, que não usa a força ou já de fato não a tem já encontrava seu fim. Todos os ditadores poderosos usam principalmente seu poder. Há muitos exemplos que demonstram o destino extremamente lamentável daqueles que perderam seu poder.

E se o poder é uma ferramenta para se proteger, então o dinheiro é o que o sustenta. Sem dinheiro, não se pode manter o poder. Quanto mais dinheiro mais poder.

A mão de obra é o membro que age para o bem das autoridades. Você não pode fazer tudo sozinho. A razão pela qual os ditadores preferiam subordinados incapazes, mas leais, em vez de capazes, é porque isso pelo menos torna suas vidas mais fáceis. É por isso que as nações governadas por ditaduras são sempre corruptas.

Há uma razão pela qual o círculo interno de uma ditadura se mantém mesmo quando o poder dos ditadores diminui. Eles sabem muito bem que vão morrer como ditador. Portanto, eles tentam desesperadamente manter o poder. E manter a ordem.

O problema é que Isaac não possuía nenhum dos três componentes listados.

(Primeiro tenho que resolver a questão do dinheiro.)

“Hmm…”

O operador que havia errado com Isaac congelou quando Isaac falou com ele. Ele até ficou com medo de respirar mais uma vez, para não incomodar o Administrador da Nova Cidade Portuária.

“Sim! Apenas me fale o que precisa!”

“Conecte-me à sede da Guilda Comercial Rivolden.”

Não importa quão pouco tempo tenha se passado desde a invenção do Comunicador, as Sete Grandes Guildas Comerciais certamente adquiriram pelo menos uma dessas invenções revolucionárias.

“Olá. Este é a sede da Guilda Comercial Rivolden. Como posso ajudar?”

Como esperado de uma das Sete Grandes Guildas Comerciantes, a operadora da Guilda Comerciante Rivolden também era uma beleza que rivalizava com Amy do Departamento de Suprimentos.

“Gostaria de falar com o Sr. Goldman.”

“Você quer dizer o Mestre Goldman?”

“Sim.”

“Desculpe por isso, mas em nome de quem devo dizer esta mensagem?”

“Apenas diga a ele que é o administrador Isaac da Nova Cidade Portuária.”

“Certo espere um pouco vou informá-lo.”

Enquanto a operadora na tela começou a fazer seu trabalho , a equipe da sala de comunicação deste lado do comunicador olhou novamente para Isaac como se não acreditassem no que estavam vendo.

Como esse cara tem esse tipo de relações? Primeiro Vice-Comissário do Departamento de Suprimentos, agora o Líder da Rivolden?

Mazelan estava em uma altura inatingível, mas a relação desses dois ainda podia ser explicada de alguma forma. Afinal, ele é o veterano de Isaac desde a universidade, mas como ele poderia ter algo assim com o Mestre de uma Guilda Comercial com quem, em teoria, ele nunca teria a oportunidade de conversar?

Os operadores começaram a ver Isaac sob uma nova luz mais uma vez. Ao que parece, ele não estava tão isolado do mundo como parecia à primeira vista.

“Oh! Isaac, quanto tempo! Como você está?”

Goldman, um homem bonito com uma aparência refinada e sofisticada, cumprimentou Isaac amigavelmente. Ele tinha um talento verdadeiramente único para mudar até mesmo a atmosfera mais sombria para melhor e atrair as pessoas para ele com apenas um sorriso, mas na verdade ele foi apelidado de “caçador de novatos”: um homem que manipulava habilmente aqueles que recentemente ingressaram no mundo dos negócios.

“Quanto tempo hein. Eu suponho que você está bem?”

“Hahaha… Bem, tirando o fato de que não faz muito tempo eu quase morri, sim, posso dizer que estou bem.”

“Ouso dizer que suas excelentes habilidades permitiram não apenas enviar a tribo de ursos do norte para casa, mas também concluir outro acordo comercial com eles.”

“Hm? Você já sabe disso?”

“Reisha me falou sobre isso.”

“Hmm. Bem, isso também foi bastante problemático, mas a verdadeira risco de vida foi quando aquela garota Kunette veio aqui e destruiu tudo. Ela estava muito descontente com o fato de não ter mel.”

“Hmm? Kunette esteve aí? Estou surpreso que você ainda esteja vivo.”

“Hahahaha! Um verdadeiro comerciante está sempre pronto para qualquer coisa. Graças a meus esforços, consegui mel élfico!”

Goldman contou os acontecimentos como se fossem uma espécie de história, digna de ser registrado em crônicas. Ele contou como a furiosa Kunette, que invadiu o escritório, foi acalmada com um único pote de mel. E ele ainda conseguiu dar um tapinha na cabeça dela pouco depois. Assim que a história terminou.

Mas assim que a história chegou ao fim, Goldman mudou a conversa para tópicos mais relevantes.

“Então o que é que você quer? Acho que você quer me fazer uma oferta interessante, já que você entrou em contato pessoalmente.”

Os olhos de Goldman estavam brilhando enquanto ele questionava Isaac, mas Isaac respondeu com um olhar distante.

“Por que você não investe na Nova Cidade Portuária?”

“Hahaha, Isaac. Claro, peço desculpas, mas as questões de investimento são decididas por toda a guilda como um todo. Não importa o quão próximo você e eu somos, esse tipo de coisas não posso decidir sozinho. Por favor, não me entenda mal.”

Isaac de repente pensou que não tinha ideia de que tipo de relacionamento próximo com ele Goldman tinha em mente. Eles só se viram uma vez na vida, quando Krent o convidou para jantar após a formatura.

Isaac olhou para Goldman sem emoção enquanto falava.

“Se você está tentando me testar dessa forma, então fico triste em ouvir isso. Mas se isso é porque você não sabe… então estou muito desapontado com a rede de informações da Rivolden.”

Goldman riu das palavras de Isaac, mas logo ele tirou o sorriso do rosto e deu ao cara um olhar sério.

“Acho que você me entendeu de forma errada. Estou falando sobre o valor do investimento em geral. Não importa o quanto eu seja a favor de você em particular, ainda acreditamos que a Nova Cidade Portuária simplesmente não vale a pena investir.”

“Você está ciente de que a família do Conde Milros se uniu a Cidade Portuária, né?”

“Hmm, admito que este problema se tornou recentemente uma prioridade para nós.”

“Posso resolver este problema em três anos. Como você sabe, também tenho motivos para arruinar todos os planos deles. Você não acha que isso é suficiente para o investimento?”

“Hm. O que fará?”

“Isso é segredo. Agora há muitas orelhas por perto. Mas se tudo correr como planejei… destruirei esta cidade.”

Atordoados com as palavras de Isaac, os operadores se entreolharam.

Como é possível que um homem que se senta em um comunicador da Cidade Portuária declare abertamente que vai destruir esta cidade?

“Hm, acho que preciso fazer uma reunião primeiro. Este não é um problema só dá Guilda Rivolden. Então, quanto de investimento você precisa?”

“Um milhão Gigas.”

“Um milhão? Acho que posso convencer algumas guildas. Agora temos fundos extras para usar, já que não precisamos mais ser gastos em lobby.

O salário mensal de uma família de classe média era de cerca de oitenta gigas. Portanto, a reação calma do Goldman aceitando facilmente surpreendeu os operadores. Mas o que os surpreendeu ainda mais foi que Isaac teve a coragem de simplesmente exigir de alguém um milhão.

“Vou enviar alguém até você mais tarde. Diga-me seus planos de como você vai usar o dinheiro.”

“Não.”

“Não?”

“Se alguma informação vazar, todo o plano vai dá errado. Eu quero que você invista em mim, sem perguntas.”

“Hmm, vai ser difícil convencer os acionistas dessa forma…”

“Você acabou de me dizer que ainda tinha fundos extras. Se eu falhar e ainda houver uma nova Guilda de comércio aqui em três anos… Pense nisso como uma despesa de lobby.”

“Certo. Com certeza várias guildas vão encarar isso como uma aposta e ainda vão investir em você.”

“Bom, vejo você em breve então. Espero que você entre em contato comigo o mais rápido possível.”

Depois que terminou, Isaac puxou um cigarro e saiu.

“Agora que o dinheiro está resolvido, preciso de mão de obra e poder. Como vou resolver isso?”

Quando ele deixou a prefeitura sob os olhares silenciosos e intensos dos operadores. Já na rua, quase na porta, Reisha se aproximou de Isaac, agora com comida nas mãos.

“Você demorou mais tempo do que eu esperava.”

Isaac ficou em silêncio, olhando para ela com um olhar muito estranho.

Reisha sentiu uma sensação já conhecida em sua espinha enquanto Isaac olhava silenciosamente para ela. Aquele olhar silencioso e significativo sempre a fazia se sentir assim. Uma premonição sinistra tomou conta de Reisha e ela inconscientemente deu um passo para trás.

“Hmm, é bem possível que já tenho um jeito inesperado de resolver o problema de mão de obra.”

Isaac levou Reisha até o restaurante da Cidade Portuária. Um garçom correu em direção a Isaac para cumprimentá-lo quando ele apareceu, já que eles não tinham escolha. O garçom simplesmente não conseguia acreditar em seus olhos enquanto olhava para Reisha ao lado dele.

Não foi porque ela é uma elfa que o surpreendeu. Afinal, a Cidade Portuária é uma cidade turística e bastante popular. Embora não com muito frequência, mas não-humanos eram vistos por aqui também. O que o impressionou foi que a elfa tinha vindo com Isaac.

“B-bem-vindo.”

“Posso realmente comer o que eu quiser?”

“Sim. Com certeza.”

“Caramba! O que aconteceu com você? Sendo tão bom comigo, me trazendo aqui para uma refeição tão chique?” Reisha sorriu

“Ah, não se preocupe com isso.”

(Não é como se eu estivesse pagando por isso…)

Isaac murmurou essas palavras entregando o cardápio à garota com uma falsa expressão de generosidade.

A Egrino, proprietária deste restaurante, estava se preparando para levar o caso de Isaac ao tribunal após o incidente. No entanto, ele ofereceu-lhes um acordo. Se ele tivesse permissão para usar o restaurante gratuitamente, ele não prestaria queixa. A Guilda Egrino aceitou, achando que não seria um preço muito alto comparado ao valor do processo. Portanto, Isaac não se importava com o quanto Reisha comeria.

“Isso… e isso. Hmm… E isso também. Oh! Tudo parece tão delicioso.”

Reisha olhou o cardápio, pedindo qualquer coisa que não tivesse visto antes ou que parecesse saborosa. O garçom parecia estar bem ciente do apetite insaciável dos elfos, pois seus pedido não o incomodou.

“E o que você quer? Já que você estão sendo tão bondoso comigo me dando esse tipo de comida?” a garota perguntou desconfiada quando o pedido finalmente foi finalizado.

“Não é nada. Eu só preciso fazer alguma coisa, mas para isso eu preciso de ajuda.”

“Hmm? Precisa de ajuda em quê?”

Reisha rapidamente perguntou a Isaac. Tudo em que Isaac estava envolvido acabou sendo muito interessante e emocionante. Às vezes também engraçado.

O fato de ela poder negociar com os alunos do Campus a tornou famosa na sociedade élfica. Havia até aqueles – parentes e outras famílias muito bem sucedidas – que se reuniam regularmente em sua casa para ouvir sobre suas próximas aventuras. E se Isaac tem algo divertido planejado novamente, ela simplesmente não será capaz de resistir à tentação de se juntar a ele. Não importa o que.

“Quero saber mais sobre elfos e tribos de ursos do norte.”

“Hmm? O que você quer saber sobre nós?”

“Nada. Coisas como seus gostos, desgostos, personalidade. Você sabe, esse tipo de coisa.”

“Todos já não sabem disso?”

“Quando você ouve sobre isso diretamente de um elfo, é muito diferente.”

Reisha ergueu uma sobrancelha, mas começou a explicar a Isaac sobre os não-humanos em detalhes.

Apesar do mundo ser governado por humanos, os não humanos eram tratados como iguais aos humanos. Eles não deixavam muitas vezes suas reservas, mas ninguém os proibia de fazer isso.

Eles simplesmente não saiam porque não tinham necessidade. Eles interagiam com os humanos quando precisavam. Raças que ofereciam vários tipos de serviços percorriam o continente com bastante calma, conviviam em harmonia com os humanos.

No entanto, anões, dragões, elfos e homens-fera, que são considerados os principais tipos de não-humanos, tinham personalidades muito diferentes do que Isaac achava.

De acordo com a explicação de Reisha, os dragões são bem reservados, os anões são velhos chatos e os homens-fera são talvez os mais simpáticos dos não-humanos para se tornarem amigos.

Os elfos foram retratados por Reisha como uma raça aventureira que adora fazer amigos, adora experimentar coisas novas, e podem ser uma companhia muito agradável e interessante.

Isaac não tinha certeza se deveria levar tudo isso a sério, mas havia coisas que ele achou muito útil.

“Então vocês têm um hobby – tentar algo novo?”

“Bom, na verdade sim. Gostamos de tentar o que ninguém nunca fez antes.”

Lembrando das ações de Reisha no Campus parecia apoiar ainda mais essa afirmação. Ela, por exemplo, sempre experimentava de bom grado os pratos que Isaac preparava. Ela se envolveu em suas aventuras e negócios, liderou pela primeira vez um negócio. Mas assim que Rivelia transformou suas festas de chá em encontros tradicionais, Reisha imediatamente tentou se livrar dessa situação. Isaac então acreditou que Reisha era diferente, mas como ela disse que todos os elfos são assim, ele teve que acreditar nisso. Por mais duvidosa que essa afirmação lhe parecesse. Especialmente devido ao preconceito com que ela descreveu membros de outras raças.

“Por que você querem tanto experimentar algo novo?”

Isaac pensou em como as personalidades dos elfos realmente são interessantes. De acordo com as idéias e estereótipos do velho mundo, os elfos eram uma raça antiga e bonita, viviam na floresta, eram arqueiros experientes, que eram muito cautelosos e não se aventuravam no mundo humano.

“Imagine como seria chato ter o mesmo emprego por uma vida tão longa,” Reisha riu. “Portanto, temos sede de novas experiências literalmente no sangue. Ter vários empregos para experimentar coisas novas geralmente é o nosso caso.”

Isaac de repente pensou que isso explicava por que ela estava tão disposta em deixar a polícia levá-la.

Ele teve a impressão de que os elfos não estavam apenas procurando novas experiências. Para eles, era algo que mais tarde poderiam se gabar. Quanto a Reisha… Ela é apenas um pouco mais especial que o resto dos elfos. Então, isso foi bom para Isaac.

“Então, por que vocês não saem da Reserva?”

“Porque a maioria das coisas que o mundo humano tem a oferecer, podemos fazer em nossa reserva. Por que se cansar com viagens desnecessárias?”

“Então você está livre para andar por aí? Existem regras ou perigos associados quando se deixa a reserva?”

“Hm? Por que eles nos parariam ou nos restringiriam se queremos algo? A propósito, esta é a primeira vez que ouço que os não-humanos são de alguma forma mais vulneráveis ​​no mundo humano…”

De acordo com a explicação de Reisha, a política da lei do Império em relação aos não-humanos equivalente a “não olhe para ele só porque ele está bêbado’, exceto ‘ Não olhe para eles só porque eles não são humanos.”

Além disso, se um humano cometesse um crime contra um não-humano, mas também a Reserva correspondente, em proporções naturais e racionais Por exemplo houve um caso de que um humano foi pego tentando roubar um não-humano. Pelas leis do Império, esse crime merecia um ano de trabalho duro. No entanto, de acordo com as leis da Reserva da vítima, pediram para cortar a mão. No final, optaram pela segunda opção.

A menos que guardassem um rancor muito grande, nenhum criminoso teria coragem de tocar em não-humanos.

“Isso significa que, se eu lhe oferecer uma experiência que não tem em sua Reserva, posso colocar todos à minha disposição?”

“O que você está planejando? Seja o que for, deixe-me entrar!”

Reisha já tinha percebido que Isaac estava planejando algo envolvendo os elfos. Não tinha como ela ficar de fora dessa.

“Acho que você deveria se formar primeiro.”

“Ahhhh. Odeio estudar…”

“Se você se formar rápido, eu prometo a você uma experiência que deixará todos os elfos com inveja.”

“Sério?! Você prometeu!”

“Sim! É algo tão grande que nenhum outro elfo pode experimentar algo assim.”

Reisha estava muito interessada em ter algo para se gabar para sua tribo com o olhar calculista de Isaac.

Depois de muita conversa, Isaac finalmente enviou Reisha de volta para sua Reserva. E imediatamente foi até um comunicador. Ele não queria voltar à prefeitura novamente. Parecia que os rumores já haviam se espalhado, pois as opiniões que foram dadas a Isaac mudaram drasticamente. Ao vê-lo, as pessoas começaram a murmurar algo baixinho e abriram caminho. Ele nem precisou esperar sua vez no comunicador.

“Olá. Eu sou Albert, chefe do Serviço de Comunicações. Como posso ajudar?”

Apesar da notoriedade de Isaac, Albert agiu profissionalmente.

“Eu só quero enviar alguns documentos”, disse Isaac.

Ao construir comunicadores para comunicação, seus desenvolvedores também criaram um sistema semelhante ao fax para agilizar os procedimentos de gerenciamento de documentos/cartas.

Albert levou Isaac para uma sala localizada no canto mais distante do centro de comunicações. Havia uma pequena mesa lá. Tudo o que precisava ser feito era anotar o que precisava ser enviado por fax e entregá-lo aos operadores.

Isaac pensou por um momento e depois escreveu duas folhas de papel ao mesmo tempo. Em seguida, ele os entregou a Albert.

“Envie para o Campus e para a Reserva Élfica. Ah, espera!”

Relutantemente, Isaac voltou para a mesa. Pensando em algo, ele murmurou baixinho:

(Será pior se ela ficar ainda mais irritada.)

E então ele escreveu outra folha.

“Isso é tudo?”

“Sim. Só resta enviá-los. Não se preocupe com quem os recebe.

“Sim senhor.”

“Bom, é isso, terminei. Tchau.”

“Tchau senhor. Seus documentos serão enviados agora mesmo.”

Isaac saiu da sala, sem se preocupar em verificar se Albert realmente havia cumprido sua promessa e se tudo havia sido feito corretamente.

——

Albert sabia que o chefe do Serviço de Comunicações não deveria fazer algo assim, mas decidiu fazer. Isaac veio aqui pessoalmente, e está é uma… situação bem especial.

Ele releu os documentos antes de enviá-los e não pôde deixar de rir.

“Está à procura de emprego?? Até entendo seu desejo de encontrar funcionários, mas por que elfos, homens-fera e o Campus? Ele realmente acredita que entre eles haverá alguém louco o suficiente para aceitar isso?”

——

A Reserva dos Elfos ficou bastante agitada.

Está à procura de emprego?

Procurando uma nova experiência? Você querem experimentar algo que ninguém mais fez? Bem-vindo à Nova Cidade Portuária! Vou me certificar que cada um de vocês tenham uma experiência da qual possam se gabar pelo resto de suas vidas.

Pagamento: Após negociação.

Trabalho: Começa após alguns meses de treinamento.

Contrato: 3 anos.

Naturalmente, começou imediatamente um debate, no qual se falava muitas teorias sobre que tipo de trabalho era esse e o que está por trás dessa estranha proposta. Mas quando Reisha voltou para casa e contou a eles todas as aventuras que havia experimentado graças a Isaac e se gabou de que ele havia prometido “algo especial só para ela”, muitos jovens elfos curiosos, bem como seus companheiros mais velhos que estavam fartos de sua vida cotidiana, decidiu ir para a Nova Cidade Portuária.

——

Contrato de trabalho de três anos. Aqueles que aceitarem terão seu salário decidido após negociação. A taxa mensal mínima é de setecentos Giga. Os salários estão correlacionados com o desempenho.

Trabalho: principalmente trabalho de escritório. Posso oferecer uma posição que lhe permita ganhar experiência em finanças. A posição, as condições e o pagamento podem ser ajustados para atender às suas necessidades atuais e de seus estudos.

Antes de tudo, todos devem ir conversar sobre isso com seus sunbaes ou professores para ficarem cientes da situação atual da Nova Cidade Portuária.

Espero ver muitos hubaes qualificados.

“Por que alguém do Campus iria trabalhar na Nova Cidade Portuária? Só loucos fariam uma coisa dessas. Embora, devo admitir, o salário é impressionante.”

O salário mensal de setecentos gigas era realmente muito grande. Até Albert ficou tentado. Ele subiu para sua posição atual da posição mais baixa na Guilda do Comércio. Agora ele estava no nível do elo do meio. E seu salário não passava de trezentos gigas. Mas mesmo assim foi o suficiente para chamar sua vida de sucesso, e que ele foi considerado objeto de inveja dos outros.

Mas um novo funcionário recebendo 700 Giga? Albert teria se oferecido imediatamente, mas este documento era focado no Campus e seus alunos. De repente, ele se perguntou se haveria pelo menos um aluno desesperado que aceitaria isso. E isso apesar do fato de que você só precisa terminar seus estudos – e de todo o Império haverá ofertas de emprego, a maioria das quais certamente permitirá que você comece uma vida independente, digna e bem-sucedida.

No entanto, havia algo que Isaac sabia que Albert não sabia. Havia muitos estudantes no Campus – plebeus de famílias mais pobres.

Quase todos eles vieram para o Campus com grande entusiasmo e com foco para estudar eles logo perceberam que estavam tendo dificuldades para passar nas provas e só à custa de grandes esforços chegaram ao nível dos camponeses medianos. Esses alunos sempre tiveram muito menos liberdade, principalmente quando se trata de encontrar trabalho. Mas o pagamento um de 700 Gigas e até mesmo condições contratuais de trabalho, certamente representaram uma grande oportunidade. Apenas três anos de tal trabalho eles poderiam fazer uma pequena fortuna. O único problema real com tudo isso era que eles estavam com medo de que Isaac simplesmente não pudesse pagar os setecentos prometidos. No entanto, quando rumores se espalharam sobre os milhões recebidos das Sete Grandes Guildas Comerciantes, o medo se foi. Muitos alunos mal podiam esperar o momento de se formar.

——

Está à procura de emprego?

Pagamento: Um pote de mel por dia. A cada seis meses, o melhor funcionário recebe um pote de mel élfico.

Trabalho: Bem básico.

Requisito: Todos os candidatos devem obter permissão da Kunette.

“Não! Não! Eu vou sozinha!”

Todos os membros da família e todos os membros da tribo de Kunette fizeram o possível para convencê-la a lhes dar permissão. No entanto, ela estava muito, muito zangada. A garota resistiu simplesmente com uma teimosia incrível, acreditando seriamente que se ela aparecesse lá sozinha, todo o mel élfico seria dela.


PÁGINA

CAPÍTULO ANTERIOR